O YOGA e o Silêncio Sagrado

silencio

O silêncio é artigo cada vez mais raro e inusitado nos tempos atuais. As pessoas ficam em silêncio por muitos motivos: para reter informações, para se sentirem superiores aos outros, para reprimir seus sentimentos, para frisar o que acabaram de dizer, para comunicar sentimentos com os olhos, para sentir melhor o que está acontecendo, para expressar uma censura, e assim por diante.

No Yoga existem várias ferramentas disponíveis que podemos aplicar em nosso dia-a-dia, e que têm como foco final a vivência do silêncio sagrado. Essa prática na Índia é chamada de mauna.

A prática do Hatha Yoga é uma excelente oportunidade para se vivenciar esse silêncio, seja no momento da execução dos asanas, dos pranayamas, no relaxamento ou nos instantes destinados à meditação. Quando experienciamos essa sensação verdadeiramente é imenso o retorno, e esse resultado pode ser vivido através da energização sentida em todos os sistemas corporais, da sensação de tranqüilidade e completude. Afinal, no silêncio sagrado colocamo-nos fora da personalidade egóica e temos a oportunidade de mergulhar fundo na direção da nossa essência Maior, porque nos tornamos livres dos nossos condicionamentos psíquicos por um momento. E isso é tudo o que procuramos alcançar através do Yoga.

Mas, essa busca pode e deve ir muito além da prática de sala de aula, mesmo sendo um desafio para a nossa vida cotidiana que apresenta muitos obstáculos para permanecermos nesse estado de êxtase. Praticar o silêncio sagrado não é deixar de falar, mas silenciar a mente, muitas vezes, verborrágica, e esse é o grande desafio. Esse silêncio é um estado de Ser, de natureza Suprema, que nos leva ao universo luminoso que habita nosso interior. Diferente da fala que, assim como a lua, não tem luz própria. Precisamos buscar e nos manter conectados a essa busca diariamente a fim de alcançarmos os benefícios garantidos. Certamente, esse é um importante caminho para conquistarmos a tão sonhada imobilidade que abre a dimensão da existência espiritual.

Namaste!

Glaucia Cantergiani

professora de yoga e fisioterapeuta

glaucia@cantergiani.com.br / www.glauciacantergiani.blogspot.com