BRT – Barra da Tijuca

transoeste brt barra da tijuca

O BRT (Bus Rapid Transit) é um sistema de transporte público inovador, ambientalmente limpo e de alta capacidade, que opera em vias segregadas, levando a qualidade do transporte sobre trilhos para o transporte viário. O sistema, originalmente desenvolvido no Brasil, é utilizado atualmente em várias cidades no mundo, entre elas Pequim (China), e se mostrou eficiente em corredores de alta demanda ao redor do mundo.

O Brasil possui extensa experiência no planejamento, construção e operação do BRT. Para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016, serão construídos três sistemas BRT, conectando as zonas sul e norte da cidade à região da Barra da Tijuca.
 

 

 

Conheça melhor

Transcarioca

transcariocaA TransCarioca terá 39 km de extensão e 45 estações entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão. O projeto original era de 28 km entre a Barra e a Penha, porém, a Casa Civil da presidência da República condicionou a liberação do empréstimo do BNDES à prefeitura à extensão do projeto até o Aeroporto do Galeão, pois estudos mostravam que o acréscimo faria o sistema atender mais cem mil usuários por dia.

A TransCarioca passará por vias como a Avenida Ayrton Senna na Barra da Tijuca, Nelson Cardoso e Cândido Benício em Jacarepaguá, e a Avenida Ministro Edgar Romero em Madureira. Terá integrações com a TransOeste, estações de trêm, linhas de ônibus convencionais e a Linha 2 do Metrô.

A criação de canaletas segregadas por onde circularão veículos articulados exigirá, nos trechos de tráfego mais pesado, a construção de mergulhões (na Barra da Tijuca) e um novo viaduto de acesso entre Campinho e Madureira. De acordo com a Prefeitura do Rio, 3630 imóveis na Barra, em Jacarepaguá, Madureira, Vicente de Carvalho e Brás de Pina, entre outros bairros, terão que ser desapropriados integralmente ou parcialmente para viabilizar o corredor de transporte.

A TransCarioca deve receber pelo menos 300 mil pessoas por dia, segundo estimativas do governo.

A expectativa era de que as obras começassem até março de 2010, sendo concluídas em duas fases: a primeira etapa (Barra-Madureira), até março de 2012; e a última (Madureira-Aeroporto Tom Jobim), no primeiro trimestre de 2013. Porém, a obra só começou em março de 2011 . A entrega da obra foi adiada de 2012 para dezembro de 2013, ficando pronta antes da Copa do Mundo de 2014.

 

Transoeste

transoeste

De acordo com o projeto da Prefeitura, a Transoeste partirá do Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, onde fará integração com a futura estação do Metrô Linha 4.

De lá, seguirá por toda a Avenida das Américas, passando pelo viaduto no entroncamento com a Avenida Salvador Allende e pelo Túnel da Grota Funda (ambos em construção), até chegar à estação de trem de Santa Cruz.

Outro trecho da via passará pela Avenida Cesário de Melo até o centro de Campo Grande.

O sistema BRT da TransOeste será na maioria do trecho totalmente separado do tráfego geral, composto por linhas expressas e paradoras, que vão ligar a Barra a Santa Cruz.

O corredor viário terá ainda linhas alimentadoras, ligadas a bairros periféricos.

A obra inclui a restauração de 255 mil metros quadrados de pavimento e a implantação de mais 522 mil metros de asfalto. Uma nova iluminação, com de 3.650 pontos de luz, também faz parte do projeto.

Atualmente, o trajeto Santa Cruz-Barra da Tijuca tem aproximadamente 50 km de extensão, que, de ônibus, são percorridos, em média, em uma hora e 40 minutos. Nos horários de pico, a viagem pode levar até duas horas e 30 minutos.

Com a construção da Transoeste, o tempo de viagem cairá para menos de uma hora.

 

 

 

 

 

 

 

TransOlímpica

A TransOlímpica ligará a Barra da Tijuca a Deodoro. O projeto prevê aproximadamente 60 ônibus articulados (Bus Rapid Transit, BRT) para transportar, em corredores exclusivos, 100 mil passageiros por dia. Estudos ainda estão sendo realizados para prever a quantidade de carros, mas, segundo o subsecretário da Casa Civil, Luiz Fernando Barreto, a estimativa inicial é 50 mil veículos por dia.

Além de duas pistas com três faixas de rolamento para os carros, o BRT terá 18 estações, com bicicletários. Conforme o projeto, a TransOlímpica terá 30 quilômetros de ciclovias ao longo do traçado, nas duas laterais da via, além de ciclovias alimentadoras.

O projeto do BRT Transbrasil inclui cinco terminais (Deodoro, Margaridas, Missões, Fiocruz e Centro), extensão de 20 Km e capacidade estimada para 40 mil passageiros por hora em momentos de pico.

Este projeto tem como objetivo completar o anel de transportes de alta performance, ligando Deodoro ao Centro da Cidade e, assim, gerar benefícios econômicos, sociais e ambientais através da reorganização do sistema de transporte público e da melhoria na qualidade do ar.

O prolongamento no trajeto irá facilitar o acesso viário de espectadores oriundos da Via Dutra e da Avenida Washington Luíz, principais acessos rodoviários à cidade, que atenderão aos mega-eventos que ocorrerão na cidade (Copa do Mundo e Olimpíadas).

Fonte: mobirio