OSB encerra temporada

OSB encerra temporada da série Jade com o aclamado pianista Daniil Trifonov

RiR 001

APRESENTAÇÃO NO TEATRO BRADESCO SERÁ REGIDA
PELO MAESTRO LEANDRO CARVALHO
E CONTARÁ COM SOLO DO JOVEM PIANISTA EM PEÇA DE RACHMANINOFF

No próximo dia 16 de novembro, a OSB encerra a série Jade desta temporada recebendo um dos nomes mais brilhantes da próxima geração de pianistas: o russo Daniil Trifonov, de 22 anos. Sob regência do maestro Leandro Carvalho, diretor artístico e regente principal da Orquestra do Estado do Mato Grosso (OEMG), a orquestra apresenta, às 16h, no Teatro Bradesco, as peças “Sinfonia n°44 em mi menor – Fúnebre”, de Haydn; “Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op.43”, de Rachmaninoff, solada por Trifonov; e “Sinfonia n°3 em lá menor – Escocesa”, de Mendelssohn.

A peça do austríaco Joseph Haydn, “Sinfonia n°44 em mi menor – Fúnebre”, abre o concerto. Composta em 1772, ela faz parte, como muitas das outras composições de Haydn, do período sob influência do movimento literário romântico alemão Sturm und Drang (tempestade e ímpeto), que se manifestava na música através de notas que intensificavam a emoção envolvida na obra. Apesar de ao final de sua vida Haydn pedir que tocassem o terceiro movimento da Sinfonia, o “Adágio”, em seu funeral, em quase nada se justifica seu apelido de “Fúnebre”. Um dos compositores mais importantes do período clássico, Haydn é chamado de “Pai da Sinfonia” e “Pai do Quarteto de Cordas” por estabelecer as formas básicas que se tornou modelo e inspiração para as obras de Mozart e Beethoven, dos quais foi muito próximo.

Em seguida, a orquestra divide o palco com o jovem pianista Daniil Trifonov na interpretação da peça “Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op.43”, do russo Sergei Rachmaninoff. Composta na Suíça, em 1934 para piano e orquestra, a obra é um conjunto de 24 variações inspirada na composição “24 Caprichos para Violino Solo”, de Niccolò Paganini. Sua estreia se deu em Baltimore, em 1934, com o próprio Rachmaninoff interpretando-a com a Orquestra da Filadélfia, na Lyric Opera House. “Rapsódia…” recebeu uma interpretação de balé chamada “Paganini”, em 1939, pelo coreógrafo e dançarino Michel Fokine, que escreveu uma carta ao compositor pedindo autorização do uso da obra para o balé, para o qual ele havia acabado de finalizar a coreografia. Após algumas mudanças na composição para dar um ar mais teatral, o balé estreou pelo The Royal Ballet, na Royal Opera House, de Londres, com um enorme sucesso, o que elevou o status de Rachmaninoff no meio clássico.

Finalizando o concerto, a OSB apresenta a “Sinfonia n°3 em lá menor – Escocesa”, do alemão Felix Mendelssohn. A obra teve sua composição iniciada em 1829, durante a primeira viagem do compositor à Inglaterra, e só foi concluída e tocada pela primeira vez 13 anos depois, em 1942. A estreia aconteceu em Leipzig, na Alemanha. Mendelssohn afirmava ter tido a ideia inicial para esta obra durante uma visita à ruína Holyrood Chapel, em Edimburgo, Escócia, mas tirando este detalhe, o motivo para a denominação “escocesa” é incerto, já que a obra não se refere a nenhum conto, pintura ou qualquer característica da região. Alguns críticos e estudiosos defendem a presença de melodias escocesas na composição, mas Mendelssohn, inclusive, era contrário a músicas folclóricas, de raízes. Até hoje não se sabe ao certo a real intenção do apelido.


daniill2Daniil Trifonov

Trifonov nasceu na Rússia, em 1991, e hoje se configura como um dos nomes mais brilhantes da próxima geração de pianistas. Conhecido por apresentações marcantes, profundo conhecimento musical e intensa expressividade, Trifonov vem superando a atenção que recebeu na temporada 2010/2011, quando ganhou medalhas nas três das mais prestigiosas competições de música do mundo: “The Chopin Competition”, em Varsóvia – Polônia, onde ganhou o terceiro prêmio; “The Rubinstein Competition”, em Telavive – Israel, com o primeiro prêmio; e “The Tchaikovsky Competition”, em Moscou, com o primeiro prêmio e o Grand Prix, prêmio concedido ao melhor de todos os competidores em cada categoria da competição. Entre os destaques da temporada de 2011/2012 na carreira de Trifonov estão as estreias junto a Orquestra Filarmônica de Viena; Orquestra Sinfônica de Londres; Orquestra do Teatro de Mariinsky, na Rússia; Filarmônica de Israel; Orquestra Nacional da Rússia, entre outras. Já na temporada 2012/2013 destacam-se as estreias de Trifonov junto à Filarmônica de Nova York, Sinfônica de Chicago, Sinfônica de Boston, Orquestra de Cleveland, entre outras. As críticas destinadas às apresentações de Trifinov têm elevado o pianista ao status de um dos mais brilhantes da atualidade.

Trifonov começou seus estudos de música aos cinco anos. De 2006 a 2009 ele também estudou composição e continuou escrevendo músicas para piano, de câmara e orquestra. Desde 2009, Trifonov estuda piano no Instituto de Música de Cleveland na classe de Sergei Babayan. Em 2008, então com 17 anos, o pianista recebeu prêmios da Scribian Competition Moscow e da San Marino International Competition. Em 2012, Trifonov lançou um álbum interpretando a peça “Concerto para Piano n°1”, de Tchaikovsky, e algumas músicas solos para piano com a Orquestra de Mariinsky, pelo selo Mariinsky. Seu primeiro CD foi pelo selo Decca, em 2011, de uma seleção de peças solos para piano de Chopin.


Leandro Carvalho _ cor 2 (Sol Manzutti)Sobre Leandro Carvalho

Leandro Carvalho é um dos fundadores da Orquestra do Estado de Mato Grosso (OEMT) e seu atual diretor artístico e regente principal. Sob seu comando, a OEMT apresentou mais de 500 concertos e gravou nove CDs e DVDs, com destaque para a participação no VI Festival Internacional ‘Misiones de Chiquitos’, na Bolívia, considerado o maior festival de música barroca do mundo; para a gravação do segundo DVD da Orquestra no Instituto Itaú Cultural em São Paulo, em 2007; e para as duas grandes turnês realizadas em 2008 quando a OEMT apresentou 162 concertos em 92 cidades de 22 estados brasileiros.

Em 2008 ainda, Leandro foi apontado como um dos dez artistas de maior importância para a música clássica no Brasil na última década pelo Anuário Viva Música, publicação de referência para o mercado musical no país. Como instrumentista, gravou nove CDs lançados no Brasil e no exterior, com destaque para os duos com Turíbio Santos e Baden Powell. Na área da pesquisa, Leandro tem proximidade com o Recife ao ter sido orientado pelo escritor Ariano Suassuna no trabalho de mestrado “…e o estrepitoso zabumba põe tudo em alvoroço”. O estudo apresenta uma visão singular da cultura brasileira e foi apresentado ao Departamento de Pós-graduação em História Social da Universidade Federal de Pernambuco.


Sobre a Fundação OSB

A Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira é uma entidade sem fins lucrativos, mantida por captação de recursos privados. Através dela são mantidos dois corpos artísticos – a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) e a OSB Ópera & Repertório – além de atividades de cunho educacional, orientadas para a formação de público ouvinte de música clássica. As atividades da Fundação OSB são viabilizadas pelo apoio da Vale, da Prefeitura do Rio de Janeiro, do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e de um conjunto de investidores.

Sobre a OSB

A Orquestra Sinfônica Brasileira é o mais tradicional conjunto sinfônico do país. Roberto Minczuk é o maestro titular. Composta por 71 músicos, tem por meta alcançar o número de 95 até 2016. No ano de 2013, a OSB terá três séries de concerto no Theatro Municipal: Ametista, Turmalina e Topázio. Além da série Safira na Sala São Paulo, na capital paulista. A temporada é elaborada por Minczuk, em conjunto com o diretor artístico da Fundação, Pablo Castellar, e com a comissão de músicos desta orquestra.

Fundada em 1940 pelo maestro José Siqueira, a OSB foi a primeira a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia. As missões institucionais contemplam a conquista de novos públicos para a música sinfônica, o incentivo a novos talentos e a divulgação de um repertório diversificado, objetivos alcançados em mais de quatro mil concertos realizados durante sete décadas de trajetória ininterrupta.

A história da OSB se compôs através da contribuição de grandes músicos e regentes como Eleazar de Carvalho e Isaac Karabtchevsky. Além de ter revelado nomes como Nelson Freire, Arnaldo Cohen e Antônio Meneses, a OSB também contou em sua história com a colaboração de alguns dos maiores artistas do século XX: Leonard Bernstein, Zubin Mehta, Kurt Sanderling, Arthur Rubinstein, Martha Argerich, Kurt Masur, Claudio Arrau, Mstislav Rostropovich, Jean-Pierre Rampal e José Carreras, dentre outros.

SÉRIE JADE

Sábado, 16 de novembro, às 16h, no Teatro Bradesco (Shopping Village Mall – Barra)

Leandro Carvalho, regente

Daniil Trifonov, piano

Programa:
Haydn – Sinfonia n°44 em mi menor – Fúnebre (24’)
Rachmaninoff – Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op.43 (22’)

Intervalo
Mendelssohn – Sinfônia n°3 em la menor – “Escocesa” (40’)

Serviço:
Teatro Bradesco – Shopping Village Mall – Avenida das Américas 3.900, Barra da Tijuca
Classificação: Livre
Preços: R$ 60 (frisa), R$ 80 (plateia alta), R$ 100 (plateia baixa e balcão nobre)
Programação sujeita a alteração.

Descontos:
50% – Estudantes, seniores (acima de 60 anos), menores de 21 anos, e portadores de necessidades especiais – mediante apresentação de documento com foto que comprove a condição (desconto pessoal e intransferível válido para 1 ingresso);

25% – Clientes Bradesco, mediante comprovação através da apresentação de cartão bancário – desconto válido até 04 ingressos na mesma sessão por titular do cartão;

20% – Assinante O Globo, mediante comprovação através da apresentação do cartão de associado – desconto válido até 02 ingressos por associado;

20% – Assinante OSB mediante comprovação através da apresentação de ingresso ou canhoto de assinatura dos concertos de Série da OSB – cada canhoto ou ingresso de assinatura vale desconto em 1 ingresso;

Realização: Ministério da Cultura. A Orquestra Sinfônica Brasileira é mantida pela Vale e Prefeitura do Rio. Apoio financeiro: BNDES. Patrocinador master: Carvalho Hosken

Mais informações pelo site: www.osb.com.br
Siga a OSB nas redes sociais: https://www.facebook.com/orquestrasinfonicabrasileira