Você sabe o que é TOC?

toc

TOC ou DOC é o que chamamos de transtorno ou distúrbio obsessivo compulsivo.
O quadro obsessivo compulsivo caracteriza-se por idéias, fantasias e imagens obsessivas e por atos, rituais ou comportamentos compulsivos. Tais quadros são vividos como uma idéia intrusiva que vem à mente repetidas vezes e por mais absurda que possa parecer, a pessoa não consegue controlar, provocando grande angústia e ansiedade; já a compulsão é o comportamento (hábito) que é criado numa tentativa de aliviar a tensão, a angústia que a idéia provoca.
Embora o TOC tenha início na maioria das vezes na adolescência ou começo da vida adulta, ele pode aparecer na infância da mesma forma como em adultos, a diferença poderá estar apenas nos ambientes que são comuns da criança, por exemplo, a criança não gosta de brincar na praça porque acredita que se ela se sujar, algo muito ruim pode acontecer à sua família ou ainda em se sentar no mesmo lugar todo dia porque assim evitará a queda nos rendimentos escolares.
Estudos recentes acreditam que pessoas que desenvolvem TOC apresentam uma interação de fatores para o desenvolvimento dos sintomas. Estão presentes fatores genéticos, neurobiológicos, psicológicos e influências ambientais.
As pessoas com TOC possuem algum conhecimento do seu problema e procuram mantê-los sob controle e em segredo. Sentem vergonha, medo de estarem com algum problema sem jeito ou cura ou simplesmente temem com o que pensarão a seu respeito. Contudo, esse controle tende a fracassar com o tempo ou a gravidade do quadro, comprometendo suas atividades diárias, estudos e até seu trabalho.
Para compreendermos melhor, imaginemos uma pessoa que acredita que ao sair de casa, será contaminada por germes ou mesmo por tocar em pessoas ou objetos de fora de casa poderá adoecer. Ela se recusa a sair de casa e quando o faz contrariada e com grande mobilização e sofrimento, volta logo para casa e demora horas no banho, utiliza vários sabonetes em um só banho, utiliza água quente e acaba por ” produzir” problemas a sua saúde. Sua vida social, escolar ou profissional já estará abalada. Ou ainda, uma pessoa que precisa se certificar de que desligou o gás, o fogão, a cafeteira, tirou os utensílios da tomada antes de se ausentar de casa. Até aí, esse é um procedimento de vários de nós; contudo uma pessoa com TOC repetirá essa checagem dezenas de vezes, fazendo com que após chegar ao trabalho, volte em casa para ter mais a “última certeza” de que tudo está no seu devido lugar, sem perigo. Além do grande sofrimento, ela sabe que já viu tudo 34 vezes ou mais, mas não resiste e precisa checar ainda mais uma e outro vez; ela tem com isso, dificuldade de cumprir seus compromissos com horário. Em ambos os casos, podemos observar que as idéias e rituais trazem limitações e sofrimento para a vida da pessoa com o TOC.
Os rituais têm a função de ” produzir” alívio da ansiedade a pessoa, o alívio entretanto é temporário.
É muito importante que a pessoa com os sintomas procure tratamento tão logo suspeite do quadro, evitando assim que os sintomas se instalem e se tornem crônicos.
Apesar de o TOC ser uma doença crônica, os sintomas podem ser aliviados e até abolidos, contudo é delicado falarmos em cura, melhor seria a remissão dos sintomas. Há casos de pessoas que após tratamento não apresentaram mais os sintomas e outras em que os sintomas alteram ou que em alguns momentos retornem. Em cada pessoa uma história, um sentido e uma função.
Os tratamentos recomendados são geralmente acompanhamento psicológico e médico psiquiátrico, simultaneamente. O tratamento psicológico visa ajudar a pessoa a lidar com sua vida e conseqüentemente procurar detectar as possíveis causas relacionadas com as idéias e compulsões presentes nos sintomas, além de utilizar algumas técnicas para enfrentamento do problema. O uso de medicação, se necessário, será prescrito pelo médico.
Não devemos confundir TOC com tique ou manias. O TOC como já mencionamos anteriormente é quando uma pessoa é aprisionada por um padrão de comportamento ou pensamentos repetitivos desagradáveis, sem qualquer sentido e incontroláveis e que são sempre motivadas por um pensamento obsessivo. Já os tiques são movimentos involuntários, súbitos e repetitivos com as mãos, dedos, ombros, cabeça ou outra parte do corpo, ou com a voz, pigarrear, assobiar etc. Os tiques podem ser crônicos ou temporários e podem até desaparecer. Existem os tiques também de origem neurológica. As manias são comportamentos que nos condicionamos que poderíamos dizer que nos ” acalmam” ter aquela figurinha do álbum que colecionamos ou porque gostamos das coisas arrumadas e organizadas, mas que se não conseguirmos efetivá-la, nosso dia seguirá sem sofrimento ou angústia. E cá entre nós, quem não tem uma?…
Recomendo assistir ao filme “Melhor Impossível”, com o ator Jack Nicholson. Em caso de dúvidas e esclarecimentos fazer contato pelo email reginacanedo@yahoo.com.br

Por: Regina Canedo de Souza
Psicóloga ““ CRP 05/17302
Especialista em Psicossomática. Formação em Saúde Mental e Psicomotricidade.
Consultório: (21) 2132 7397 ““ 9179 0051