Portugal Gastronomico, uma viagem a tradição e qualidade da culinária portuguesa.

portugal

Por todo o Brasil e, em particular, no Rio de Janeiro, existe a idéia que a gastronomia portuguesa se resume às 1001 maneiras de cozinhar o bacalhau. Para esse fato, muito têm contribuído a maioria dos restaurantes de comida portuguesa aqui existentes, apresentando nos seus cardápios numerosos pratos de bacalhau e pouco além disso.

Portugal tem a fama de ser um dos países do mundo que melhor prepara os frutos do mar. Isso deve-se à enorme riqueza da fauna marítima que habita as suas águas e, também, a gerações sucessivas de dedicados cozinheiros preparando os peixes, os crustáceos, os polvos, as lulas, sempre procurando preservar o seu sabor.

Do Minho ao Algarve, encontram-se inúmeras cidades e vilas costeiras onde os frutos do mar atingem o seu máximo esplendor. As ameijoas de Portimão à Bulhão Pato, os camarões de Quarteira, os salmonetes de Setúbal, as lagostas e os lagostins de Cascais, os linguados de Sesimbra, as sardinhas de Peniche, os robalos da foz do Tejo, a santola da Ericeira, etc., são do melhor que existe no mundo e fazem as delícias dos milhares de turistas que visitam o país.

Também nas carnes a oferta é imensa, principalmente no interior. As açordas e os ensopados do Alentejo, o cozido à portuguesa com maravilhosos embutidos, as diferentes feijoadas consoante a região, o leitão da Bairrada, a chanfana de Coimbra, além de inúmeros pratos de caça amplamente ilustrados em toda a literatura portuguesa de Eça a Pessoa e de Camões a Bocage.

Mesmo quando se fala de bacalhau, quantos cariocas conhecem e já degustaram “caras de bacalhau” cozidas ou se deliciaram com um arroz feito com as línguas acompanhadas de camarão? É verdade… A criatividade lusa no que respeita à boa mesa é quase ilimitada.

Para acompanhar toda a sua riquíssima gastronomia, Portugal desenvolveu ao longo de séculos uma vinicultura de grande variedade a que acrescentou qualidade nas últimas décadas, através de jovens enólogos formados nas melhores escolas do mundo.

De norte a sul, Portugal tem vinhos deliciosos, sejam brancos ou tintos, verdes ou maduros, licorosos, espumantes, rosés. Toda uma panóplia de sabores, provenientes de mais de setenta castas autóctones, além das internacionais Cabernet Sauvignon, Syrah e Chardonnay.

Qual o enófilo que não conhece o Barca Velha ou o Pêra Manca, a Herdade do Esporão ou a Quinta do Carmo? Quem, entre os apreciadores de vinho, nunca ouviu falar do Douro ou do Alentejo, ou dos vinhos generosos da Madeira ou de Setúbal?

Por tudo isto, Portugal tem hoje um lugar importante na comunidade internacional da vinicultura, ombreando com os países mais famosos da Europa na qualidade dos vinhos que produz.

Não se pode falar da gastronomia portuguesa sem mencionar a elevada qualidade dos seus queijos. Em destaque o célebre triunvirato composto por Serra, Serpa e Azeitão, absolutamente fabulosos e produzidos, respectivamente, na Beira Alta, Alentejo e Setúbal.

Para além destes existem outras preciosidades como sejam, o Castelo Branco, o Niza, o Queijo da Ilha (Açores), os queijos frescos de cabra, parecidos com o queijo de Minas, etc, etc, etc.

Agora, desde Dezembro, você tem no condomínio empresarial Le Monde o restaurante “Foz do Tejo”, de cozinha tradicional portuguesa, o qual, num ambiente agradável e finamente decorado, procura recriar muitas antigas receitas portuguesas, dando à sociedade carioca a possibilidade de se deliciar com alguns dos pratos acima referidos sem, para tal, ter que atravessar o Atlântico.