Marcelo Serrado fala sobre novo “papel” da vida real

Marcelo Serrado no lançamento da Skipper | Foto: Divulgação

*Por Fernando Rosenthal

O ator Marcelo Serrado é nacionalmente reconhecido por suas interpretações no cinema, teatro e TV. A partir de 2017, o experiente e versátil artista também vai se arriscar em novos “palcos”, lançando-se como empreendedor.

A novidade surgiu em meio a preparação do filme sobre a Operação Lava Jato, o lançamento da próxima novela das 19h da TV Globo e as apresentações da peça “Vilões de Shakespeare”.

Um projeto que ele decidiu lançar junto com o irmão Alexandre. Trata-se da pizzaria Skipper, que fica na Barra da Tijuca.

Com o conceito de “fun pizza bar”, o local terá uma animada programação cultural e shows, uma referência direta a um sucesso do mesmo nome na década de 90 do Rio.

Em entrevista exclusiva para o Barra da Tijuca.com.br Marcelo Serrado contou, por e-mail, como vai encarar o novo desafio, o chocante falecimento do colega Domingos Montagner em “Velho Chico”, a relação dele com a Barra da Tijuca e também indicações sobre o Oscar.

Confira a conversa, na íntegra, abaixo.

Barra da Tijuca – Você mora na Barra?

Marcelo Serrado – Em São Conrado.

BDT – A escolha da Olegário Maciel para a sede do Skipper tem algum significado especial?

MS – Hoje é o ponto mais badalado e emblemático da Barra, o bairro que mais cresce no Rio. A Olegário se tornou no “baixo Barra”. Você não teria uma área como essa, de 400m² de uso exclusivo, disponível na Zona sul – afirma.

BDT – Quais são os lugares da Barra que você mais gosta?  

MS – A praia, no skipper kite point. É onde pego o meu stand up e vou nas ilhas Tijuca. O Peahi, o restaurante japonês que meu irmão e sócio. Além disso tenho que ir pra Barra constantemente para o causa do Projac (local de gravações da TV Globo).

BDT – Alguma recomendação além do Skipper?

MS – O Peahi no Jardim Oceânico, o Boticcela, do Gancarlo, na Barrinha e o Skipper kite point.

O ator vai tocar o negócio junto com o irmão Alexandre Serrado | Foto: Divulgação

BDT – Ainda sobre a Skipper… como é trabalhar com seu irmão?

MS – Eu ajudo com a minha visão de consumidor e auxílio na divulgação. Ele que toca, pois é do ramo há mais de 20 anos. Agora (decidi) investir com ele para criar uma rede de franquias, que é uma plataforma de negócio fora do meu ramo.

BDT – Há uma divisão de funções bem definidas? Conte um pouco sobre isso.

MS – Sou um sócio investidor e temos reunião de resultados, metas e conceitos como qualquer empresa, no dia a dia ele toca com a empresa de gestão que ele tem. Além do Skipper ele tem outras marcas. Agora estou com peça, novela e filme. Minha agenda está corrida e minha função será mais de divulgar nos canais que tenho esse projeto.

BDT  – Agora vamos falar sobre a sua carreira artística. Acredito ser seguro dizer que o último papel (Carlos Eduardo) marcou a sua vida. Principalmente pelo falecimento do seu companheiro de trabalho Domingos Montagner. Passados cinco meses após o acidente, gostaria de saber com que mentalidade você pretende encarar os próximos papéis daqui para a frente. Você pode dividir conosco?

MS – Foi um choque muito grande pra todos, mas cada um tem o seu tempo de assimilar e seguir em frente. Já retomei a minha rotina, mas é uma cicatriz que ficará marcada. Bola pra frente!

BDT – Aliás, você pode dizer quais são os próximos projetos artísticos para este ano?

MS – Estou na próxima novela das 19h e gravando o filme sobre a Lava-Jato onde interpreto o juiz Sérgio Moro. Também estou com minha peça em cartaz, “Os vilões de Shakespeare”.

BDT – Por fim, há poucos dias saiu a lista de indicados para o Oscar 2017. Imagino que você deva assistir (ou já ter assistido) alguns filmes. Você teria alguma recomendação para os leitores do Barra da Tijuca?

MS – Confiram “La la Land”. As músicas colam na cabeça e é uma linda história. Vale a pena conferir!

→ Fique por dentro da programação da Barra da Tijuca

→ Saiba das novidades da região

→ Confira mais entrevistas com personalidades da Barra