“Em primeiro lugar a gente tem que se amar”, diz Cacau Protásio

As atrizes agora também são escritoras | Foto: Barra da Tijuca.com.br

*Por Fernando Rosenthal

Reunir Fabiana Karla, Cacau Protásio, Mariana Xavier e Simone Gutierrez é certeza de gargalhada. E nada saiu fora dos planos nesse domingo (07) quando as quatro atrizes lançaram o livro Gordelícias na Livraria Saraiva, do New York City Center.

O evento na Barra da Tijuca teve um clima de descontração, com direito a vários gritinhos dos fãs e muitas lives no Facebook e Instagram.

Com exclusividade ao Barra da Tijuca.com.br as novas escritoras comentaram sobre o livro – uma compilação de diversas experiências vividas por elas – e quais são as principais dificuldades que as pessoas tem por estar acima do peso.

Mas, antes de tudo, o que elas querem dizer com o nome “Gordelícias”, afinal?

– Eu falo que sou gordinha de alma porque “gordelícia” é um estado de espírito. O livro é para falar sobre isso. Você não precisa estar dentro dos padrões para ser feliz, você não tem que seguir regras, você tem que ser feliz do jeito que é. Ser gordelícia é mais do que ser gordinha, é um estado de espírito – explica a atriz Simone Gutierrez (atriz de Passione e Joia Rara, da TV Globo).

Lançamento do livro reuniu fãs, amigos e familiares orgulhosos | Foto: Barra da Tijuca.com.br

Padrões que Cacau Protásio conhece e faz questão de se impor muito bem. Sucesso como a intérprete da encrenqueira Teresinha do seriado Vai que Cola (MultiShow) Cacau afirma que a mulher precisa saber se valorizar e não se deixar levar apenas pela força da propagandas das revistas de beleza.

– Em primeiro lugar a gente tem que se amar. É o que eu falo para todo mundo. É olhar no espelho e falar “Eu sou linda”, “eu sou maravilhosa”. E botar o pé no mundo, o pé na porta. Mostrar que a gente existe! Então, eu quero roupa da moda, sapato da moda, quero maquiagem pra minha pele, então eu quero tudo pra mim. E a gente tem que ter uma autoestima boa e alta. Se impor e mostrar para a sociedade assim: “Eu existo, eu tô aqui e eu exijo meus direitos”. Com simplicidade e humildade sempre. Graças a Deus a gente tá evoluindo e eu estou muito feliz por isso – afirma.

Uma evolução que Mariana Dantas (a Marcelina dos filmes Minha Mãe é uma peça 1 e 2) também já enxerga na atualidade. Ela aponta que já existem referências nesse sentido como livros, canais no YouTube e filmes. Para ela isso issso facilita a difusão de informações e aumenta o respeito, mas que ainda há preconceito e distorções sobre a situação.

– O livro, pra mim, foi uma forma de me abrir totalmente,  falo de coisas muito íntimas porque eu me dispus a abrir verdadeiramente o meu coração para essas pessoas. Para que elas saibam que não estão sozinhas nesse preconceito e nessa luta. E é um processo de aceitação que não é simples. Já fiz uma série de vídeos no meu canal que você tem que falar para as pessoas: “Olha, nem todo gordo é sedentário”. Algumas pessoas pensam que nós fazemos apologia ao conformismo. E é completamente diferente, você lutar por respeito e incentivar o amor próprio é completamente diferente de fazer apologia a obesidade e conformismo. Não é isso. Eu sou a favor de uma vida saudável que começa pela cabeça. Não adianta ter um corpo de capa de revista se a sua cabeça está doente – pontua.

Um assunto que também foi motivo de preocupação para Fabiana Karla (Zorra Total, Escolhina do Professor Raimundo, entre outros). Ela conta que o livro, na verdade, surgiu após uma matéria de uma revista que questionava se as pessoas estavam preparadas para o verão e com o corpo em dia. Uma situação que a motivou escrever como uma forma de protesto e quebra de paradigmas.

– Não é a gente que tem que tá gostosa pro verão é o verão que tem que tá gostoso para a gente. Anão, magro, gordo, negro, branco, a cor que for. Você não tem que depender do seu estado para sair de casa. Vai começar agora a confinar as pessoas? Tem que ter um crachá na porta para poder entrar na praia? Não faz sentido. Você tem que ter um prazer na vida, a gente já é tolhido de tantas coisas, como ter uma Justiça que aconteça verdadeiramente, a gente é tolhido de tantos benefícios e agora perder o direito de ir de vir, pela condição da gente, seja gorda ou magra? Eu não aceitei isso – finaliza.

Sobre o livro “Gordelícias”:

Há dois anos, as atrizes Fabiana Karla, Cacau Protássio, Mariana Xavier e Simone Gutierrez se indignaram ao ler em uma revista que as mulheres acima do peso só deveriam ir à praia se ficassem enterradas na areia, somente com a cabeça para fora. Como protesto, as quatro fizeram um ensaio fotográfico na areia praiana.

Vestindo seus modelitos de verão, elas desfilaram charme, beleza e autoestima pelas areias de uma praia carioca e assim surgiu o movimento “Gordelícias”. Na obra, as amigas contam com bom humor suas histórias de infância, da adolescência e da vida adulta.

→ Saiba toda a agenda da Barra da Tijuca

Fique por dentro de todas as novidades do bairro

Acompanhe os principais destaques da Barra