Rimowa a mala que conta a historia da sua vida

rimowa_barra_da_tijuca

A RIMOWA é líder mundial em malas e bagagens de luxo seus clientes de nomes ilustres como Paul McCartney, Eric Clapton, Dustin Hoffman e Brad Pitt, a alemã RIMOWA é sinônimo de sofisticação e extrema sofisticação, fabricando malas exclusivamente a partir de duas matérias-primas, alumínio e policarbonato.

A história da RIMOWA
A história de uma das grifes mais tradicionais da Alemanha começou em 1898 quando Paul Morszeck fundou a empresa Kofferfabrik Paul Morszeck na cidade de Colônia, para fabricar malas e baús artesanais de madeira com acabamento e interior em couro, para serem usados em viagens de navio. Naquela época o fabricante de Colônia já demonstrava sua grande preocupação em reduzir o peso de seus produtos. Em 1936 surgem no catálogo da marca as primeiras bagagens ultra-resistentes. A empresa ganhou impulso notável a partir de 1937 quando Richard Morszeck, filho do fundador, começou a desenvolver tecnologia para utilizar um material ainda não usado na fabricação de malas e bagagens: as folhas de alumínio. Ao perceber que apenas as placas de alumínio sobreviveram a um tremendo incêndio que consumiu sua fábrica durante a II Guerra Mundial, a empresa decidiu inovar e produzir malas em alumínio.

Finalmente, em 1950 foi lançada comercialmente a primeira mala confeccionada com folhas de alumínio e uma estrutura de design ““ com laterais reforçadas e o alumínio com ranhuras (para tornar as malas mais finas e leves), os chamados grooves ““ que se transformaram na marca inconfundível da RIMOWA no mundo. A principal vantagem desta concepção foi o peso mínimo com a máxima estabilidade. As malas de alumínio da grife eram altamente resistentes às condições meteorológicas e não se danificavam mesmo em situações desfavoráveis. Foi neste momento que surgiu a palavra RIMOWA: formada pelas sílabas iniciais do nome do idealizador das malas de alumínio Richard Morszeck, acrescidas de “wa”, indicador de Warenzeichen (“marca registrada” em alemão).

Dieter Morszeck, atual presidente e CEO da empresa e terceira geração da família fundadora, criou em 1976 as malas de alumínio impermeáveis (chamadas Tropicana), desenvolvidas para atender especialmente as necessidades de fotógrafos, cinegrafistas e repórteres. Muitos profissionais desta área viram a possibilidade de transportar filmes e caros equipamentos em qualquer condição de temperatura e local, sem riscos, protegendo-os contra a água, umidade, calor tropical e o frio ártico. De lá pra cá, diversos modelos e tamanhos de malas foram criados para atender os viajantes mais exigentes. Cada qual com as laterais reforçadas e o alumínio com ranhuras ““ grooves ““ que se tornaram símbolo da marca ao se manterem intactas nas esteiras de aeroporto, mesmo tendo sido submetidas aos tratamentos mais bruscos durante a viagem. No portfólio, há desde porta-notebook, frasqueiras e malas executivas nas cores prata, azul, vermelho, preto, dourado e âmbar, a verdadeiros baús, que quando colocados na vertical podem ser usados como armários. É o caso do modelo “Tango 77 Multiwheel”, com 82 cm de altura, 55 cm de largura e 34 cm de lateral. Internamente, duas câmaras com acessos independentes, armazenam verdadeiras prateleiras e cabideiros para vestidos, camisas, cintos e produtos de higiene pessoal.

As malas de policarbonato (material utilizado em janelas das aeronaves, capaz de resistir a temperaturas de 120 graus Celsius a 120 graus Celsius negativos, e também à prova de bala) da marca são muito conhecidas no mercado de luxo. Para desenvolvê-las a RIMOWA passou quatro anos estudando o material, a fórmula, o design e escolhendo as melhores máquinas para a fabricação dessas malas. De 1996 a 2000, a RIMOWA investiu 10 milhões de euros nesse projeto. Esse produto se tornou sucesso de vendas e mudou os rumos da empresa. Só para ter uma idéia, antes de 2000, a RIMOWA só vendia malas e baús de alumínio. Hoje, comercializa 500 mil unidades de malas em policarbonato e 200 mil em alumínio.

Parte importante no projeto expansionista iniciado em 1981, a RIMOWA inaugurou sua primeira loja na América Latina em dezembro de 2007, mais especificamente em frente à loja Ermenegildo Zegna e ao hotel Fasano, no bairro dos Jardins, em São Paulo. O sucesso da primeira loja foi tanto, cerca de 90% das pessoas que entraram na loja compraram, que a marca, em menos de um ano, inaugurou mais duas lojas, uma no Rio de Janeiro e outra em São Paulo. Os projetos de expansão da RIMOWA contam também com inauguração de outros pontos-de-venda em Londres, Praga, Paris e Milão.

Com 110 anos de existência e tradição, a grife alemã ficou famosa por aparecer em filmes (cerca de 250, segundo a empresa) e ser muito utilizada nos sets de filmagem de Hollywood para levar o figurino das estrelas. A empresa também tem parcerias com a Porsche e a Lufthansa.

rimowa-rio-de-janeiro

Os produtos RIMOWA

Definitivamente mala não é tudo igual. Que o diga a RIMOWA, líder mundial em bagagens de alumínio e policarbonato voltadas ao segmento de luxo, as malas da marca alemã passam por até 90 etapas de produção, muitas ainda artesanais, e levam mais de 200 componentes para garantir sua qualidade reconhecida por artistas de Hollywood, fotógrafos internacionais e a própria Porsche, cujos carros mais disputados saem com malas RIMOWA no bagageiro. Algumas malas da marca chegam a custar R$ 8 mil. Afinal, o que o produto tem de especial? Simplicidade e inovação. Além de pastas executivas e baús, a empresa também desenvolve algumas soluções para malas de viagem, como, por exemplo, compartimentos internos impermeáveis e um sistema de quatro rodinhas com rolamento e giro de 360ºC (introduzido em 1952). O sucesso da patente desse sistema permitiu vender uma licença para a Samsonite, líder de vendas no mundo.

Para se ter uma idéia da qualidade da marca, o modelo da linha Salsa, feito de policarbonato, é impermeável e possui um zíper que agüenta a pressão de 110 quilos para cada 2,54 centímetros. Outro modelo que vem chamando a atenção do público mais sofisticado é o “Topas”, criado nos anos 50. Mas graças a um processo de eletrólise com o ouro, a mala ganhou nova roupagem dourada, sem perder suas características de estabilidade e proteção contra alta umidade do ar e mudanças bruscas de temperatura. Internamente, traz bolsos e divisões de couro. Preciosidade que custa cerca de R$ 3.440. Buscando oferecer ainda mais conforto para quem viaja, a RIMOWA lançou em 2008 o easypack, um sistema que adapta o interior da mala a pouco volume de bagagem. Versáteis, as malas são compartimentadas e possuem um sistema de trancas com tecnologia aprovada pela TSA (Administração de Segurança e Transportes), que permite a verificação em alfândegas sem que seja necessário violar seu código secreto. Feitas de policarbonato, em cores up-to-date, elegantes e metalizadas, as malas e bagagens da linha DeLuxe começam a deixar os estúdios de criação da RIMOWA para ganhar as Flagships Boutiques da marca em todo o mundo.


A marca no mundo

A marca, que hoje produz 700 mil malas e bagagens por ano, vende seus sofisticados produtos através de 25 boutiques próprias localizadas em cidades como Munique, São Paulo, Rio de Janeiro, Manila, Beijing, Seul e Hong Kong, e milhares de lojas multimarcas espalhadas por 80 países. O primeiro mercado da marca é a Alemanha, onde possui uma loja própria, além de estar presente mais 900 multimarcas. O segundo é o Japão, seguido pelos Estados Unidos e Itália. A empresa além de malas, frasqueiras, pastas e porta-notebook, ainda fabrica cases para motos e containers.

 

Na Barra da Tijuca a loja RIMOWA fica no shopping Rio Designer e ainda existe uma loja no shopping Leblon

rimowa_cf


Leia mais: http://mundodasmarcas.blogspot.com/2008/10/rimowa.html#ixzz0vw4QYWrb